Experiências na economia criativa

Eu estava me sentindo estagnada no Direito e resolvi ir atrás daquilo que me fazia sentir impulsionada: ver pessoas, exercitar minha criatividade, estimular a beleza, ensinar aquilo que eu já tinha aprendido com uma linguagem acessível.

Ora, virei blogueira. Só que mais do que isso, virei empreendedora. Hoje vejo que os projetos que eu participo não são só no sentido de crescer profissionalmente, mas também no campo pessoal e social, coisas que sempre quis.

Fazer network, conhecer pessoas, experimentar novas atividades, participar de projetos inovadores ou pioneiros, dar o meu toque ao que já existe, tentar fazer diferente e, muitas vezes, “perder” tempo, dinheiro e forças com isso tudo.

Falando assim parece que estou reclamando, mas NÃO! Pelo contrário, eu sou pra frente mesmo, gosto de falar, gosto de abordar as pessoas, gosto de me fazer vista onde não sou pelo que eu sei e pelo que eu posso oferecer. Não tenho vergonha, sou criativa, sou corajosa e gosto de aprender.

E por que estou falando tanto de mim mesma? Pra explicar que existe sim uma gama de características que devemos ter pra sermos empreendedores e para podermos estar inseridos na economia criativa. Afinal, não basta só fazer algo criativo se você não tiver a intenção de fazer aquilo render dinheiro, mesmo que isso não seja imediato (e, na maioria das vezes, não será). Dessa maneira, a pessoa que faz parte da economia criativa deve ser empreendedora ou não vai pra frente.

Participar de projetos que só vão render experiência faz parte do início da sua aventura na economia criativa, pois é necessário entender as pessoas, é necessário saber do que elas necessitam, saber o que você tem pra oferecer, como oferecer, quem vai querer isso e não ter preguiça pra fazer nada disso.

Sei que precisamos de dinheiro, isso é claro, e nesse sentido sou muito sortuda por ter liberdade para experimentar e empreender com alguém pagando as minhas contas fixas (no meu caso, meus pais). Mas isso é só por enquanto, porque assim que o seu campo é escolhido e você começa a agir, tenho certeza que a experiência trazida por todos os projetos gratuitos que você participou vão contar e muito. Acreditem, pra mim já estão contando, mesmo com todas as dificuldades no caminho!

Por anos fui diretora da bateria da minha faculdade, já participei de workshop, já fiz trabalho de blogueira somente em parceria, já maquiei de graça pra divulgar meu trabalho, fiz parcerias com outros profissionais, participei de projetos sociais e ainda acho pouco.

Agora sou uma das organizadoras do Bazzar Fashion Hits, que é mais do que um bazar, é um evento! Tenho muito orgulho de poder colocar um pouco de mim e das minhas ideias nele, apesar de não ter nascido comigo. Me sinto parte dessa conquista de colocar em prática um projeto de economia criativa, de economia coletiva, podendo dar espaço para muitas pessoas participarem. Eu e a equipe do bazar estamos trabalhando muito com o intuito de fazer algo que realmente chame a atenção de forma positiva.

E sei que isso só vai agregar conhecimento e valor ao que eu faço e a quem eu sou!

A mensagem que eu deixo pra vocês, então, é: não tenha medo de fazer de tudo um pouco e não tenha medo de não ganhar nada. Se você conseguir tirar aprendizado disso tudo, a vida vai te recompensar na frente. Afinal, se você é criativo, você vai dar um jeito de se virar. Não por você estar perdido, mas sim porque existem tantas coisas que você é capaz de fazer e por não ter medo, nem vergonha de ir atrás delas, você já está na frente de muitos outros.

Beijos e apenas brilhe!


>>Gostou do post? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe um comentário pra mim! 😘

Amanda Jacarandá

 

2 thoughts on “Experiências na economia criativa

  1. Linda, criativa e sabida!!!
    Você faz parte de uma geração que não tem medo… medo daqueles que não te deixa sair de onde você não quer ficar, de largar um curso e começar outro, medo de fracassar porque você almejou algo diferente do que está na roda… sua geração tem tudo nas mãos para fazer a diferença, e já está fazendo, de forma leve, desprovida de preconceitos e com maturidade!!!

    1. Eu já tinha lido esse comentário maravilhoso, mas só agora estou respondendo. Muito obrigada pelas palavras! Significam muito pra mim! Ainda bem que eu tenho coragem pra enfrentar isso tudo! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *